terça-feira, 1 de abril de 2008

Sou um jardim cheio de flores...

...E a solidão, é uma triste menina
Sentada sob uma arvorezinha
Esperando alguém passar
E se lembrar de perguntar
O que tá acontecendo
Se faz sol ou está chovendo
Naquele triste jardim.
É também um fim de tarde
Um pôr-do-Sol sem charme
Sem ninguém pra admirar
É uma rosa doente
Girassol sem sementes
Música sem se cantar.
Um cofrinho sem moedas
Um peseudo-poeta
Citando versos sem rimar.

Lizandra sei lá de quê

Um comentário:

Cheia de Lua disse...

clap, clap, clap, clap !
(som dos aplausos da platéia)

concordo em número, gênero e grau

Arrasasse!
Cheiro